sábado, 28 de setembro de 2013

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Horizonte por Fernando Pessoa


              O mar anterior a nós, teus medos
                 Tinham coral e praias e arvoredos.
                  Desvendadas a noite e a cerração,
                As tormentas passadas e o mistério,
               Abria em flor o Longe, e o Sul sidério
                 Splendia sobre as naus da iniciação.
 
                    Linha severa da longínqua costa -
         Quando a nau se aproxima ergue-se a encosta
                 Em árvores onde o Longe nada tinha;
          Mais perto, abre-se a terra em sons e cores:
                  E, no desembarcar, há aves, flores,
              Onde era só, de longe a abstracta linha.




   O sonho é ver as formas invisíveis
   Da distância imprecisa, e, com sensíveis
      Movimentos da esp'rança e da vontade,
    Buscar na linha fria do horizonte
    A árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte
    Os beijos merecidos da Verdade.

Poema do livro Mensagem
de Fernando Pessoa e Pedro Sousa Pereira. 
Lançado em novembro de 2006,
Editora: Oficina do Livro, pt.

Mensagem é a única obra completa de Fernando Pessoa publicada em vida.

.




quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Perdas & Ganhos



Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história. O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem.
Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada.

Lya Luft, trecho do livro Perdas & Ganhos
Lançado em 2003 pela Editora Record.



terça-feira, 17 de setembro de 2013

Nossa mente...







Nossa mente nunca está bem a não ser quando está em paz consigo mesma.

Sêneca 







quinta-feira, 12 de setembro de 2013

São saudades de um mundo contente feito céu estrelado...


São saudades de um mundo contente feito céu estrelado. Feito flor abraçada por borboleta. Feito café da tarde com bolinho de chuva. Onde a gente se sente tranquilo como se descansasse num cafuné. Onde, em vez de nos orgulharmos por carregar tanto peso, a gente se orgulha por ser capaz de viver com mais leveza.
Ana Jácomo




,

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Acreditamos que a educação sozinha não transforma a sociedade...



 
"Acreditamos que a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.
Se a nossa opção é progressiva, se estamos a favor da vida e não da morte, da equidade e não da injustiça, do direito e não do arbítrio, da convivência com o diferente e não de sua negação, não temos outro caminho se não viver a nossa opção.
Encarná-la, diminuindo, assim, a distância entre o que dizemos e o que fazemos"
.
Paulo Freire 


,,