quinta-feira, 17 de março de 2011

Uma Recordação



Não há homem que consiga deixar uma marca
nela. Todo o passado se dilui num sonho
como uma rua na manhã e só fica ela.
Se não fosse a testa franzida por um momento
pareceria atônita. As maçãs do rosto têm sempre
um sorriso.
Também não se acumulam os dias
no seu rosto, nem alteram o sorriso leve
que irradia sobre todas as coisas. Com uma firmeza dura
faz cada coisa como se fosse a primeira;
no entanto vive-a até ao último momento. O seu corpo
firme abre-se, o olhar recolhido,
a uma voz doce e algo rouca: à voz
dum homem cansado. E nenhum cansaço a toca.
Quando se lhe olha para a boca, semicerra os olhos
à espera: ninguém se arriscaria.
Muitos homens conhecem o seu ambíguo sorriso
ou a súbita ruga. Se homem existiu
que a soube queixosa, humilhada de amor,
paga dia após dia, ignorando dela
por quem vive hoje.
Caminhando pela rua
sorri sozinha o sorriso mais ambíguo. 
Cesare Pavese, in "Trabalhar Cansa'"
Tradução de Carlos Leite

 


 

5 comentários:

  1. Bela postagem!
    Realmente não conhecia este autor.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. HOLA...ME VISITASTES Y AGRADEZCO.....ENTRE A VISUALIZAR TU BLOG Y ME PARECE INTERESANTE...TE SEGUIRE Y ASI VEREMOS QUE TAL VAN LAS COSAS..UN SALUDO Y GRACIAS.

    BIRD

    ResponderExcluir