terça-feira, 29 de novembro de 2011

Argúrios da inocência




Ver um mundo num grão de areia,
E um céu numa flor do campo,

Capturar o infinito na palma da mão
E a eternidade numa hora


Um tordo rubro engaiolado
deixa o céu inteiro irado
Um cão com dono e esfaimado
prediz a ruína do estado
Ao grito da lebre caçada
da mente, uma fibra é arrancada
Ferida na asa a cotovia,
um querubim, seu canto silencia...
...Toda noite e toda manhã linda,
uns nascem para o doce gozo ainda
outros nascem numa noite infinda
Passamos na mentira a acreditar
quando não vemos através do olhar
que uma noite nos traz e outra deduz,
quando a alma dorme mergulhada em luz
Deus aparece e Deus é luz amada
para aqueles que na noite têm morada
E na forma humana se anuncia,
para aqueles que vivem nas regiões do dia.


William Blake 


Um comentário:

  1. He visto tus posts y son geniales. Me gustaría que conocieras mi blog.
    http://mariamaggioni.blogspot.com/

    ResponderExcluir